segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Poema - Roldão Aires

À MINHA MUSA

Minha musa,
encanto de todos os dias,
deixa eu deitar a cabeça,
sobre os seus cabelos,
anela-los com os dedos,
ficar bem perto de sua boca,
sentir a sua respiração,
ora calma, ora ofegante,
ouvir o pulsar de seu
coração,bater bastante,
abraça-la, te-la bem junto a mim.
Permite, que ali eu fique,
por longas horas,
te sentindo por inteiro.
permite que eu seja teu,
e tu, se só minha, até o fim.

ROLDÃO AIRES
União Cultural - São Paulo-SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário