terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Mensagens Poéticas de 10/fev/2011 - por Ademar Macedo

<<< Uma Trova Nacional >>>
Quanto sonho não vivido
do jeito que foi sonhado!
Mas tudo tem mais sentido
quando, enfim, é conquistado.
(Olga Agulhon/PR)

<<< Uma Trova Potiguar >>>
Quando as sombras do poente
deitam no mar que desmaia,
um langor envolve a gente
na branca areia da praia.
(Francisco Bezerra/RN)

<<< Uma Trova Premiada >>>
1994 > Niterói/RJ
Tema > MITO > M/E.
Esporte... ciência... arte...
no campo em que se apresente,
o mito, sempre que parte,
leva uma parte da gente...
(Waldir Neves/RJ)

<<< Simplesmente Poesia >>>

PEREGRINAÇÃO

– José Lucas de Barros/RN –

Foi numa tarde de estio
que eu saí de mundo afora,
pagando caro, toda hora,
o meu louco desafio.

Fiquei longe do meu rio,
pelo qual meu peito chora.
Ai, campos de doce aurora,
de sol bonito e bravio!

Por esses dias tristonhos,
minha bagagem de sonhos
foi ficando pela estrada.

Salvei muitas esperanças,
mas, na mala das lembranças,
há tempos não cabe nada.

<<< Uma Trova de Ademar >>>
Para alcançar o perdão,
no reino da eternidade,
vão julgar meu coração
no Tribunal da verdade!
(Ademar Macedo/RN)

<<< ...E Suas Trovas Ficaram >>>
Tive culpa, não o nego.
Naquele primeiro abraço,
eu transformei em nó cego
o que era apenas um laço
(João Pereira da Silva/MG)

<<< Estrofe do Dia >>>
Uns nascem para ter sorte
outros pra levar açoite,
o viver da cor da noite
não lhe dá qualquer suporte.
Vivem só pedindo a morte,
tudo que faz dá errado.
Quando chove em seu roçado,
nasce joio, em vez de milho,
ó mãe! Pra que tanto filho?
devias ter abortado!...
(Francisco Macedo/RN)

<<< Soneto do Dia >>>

EU QUERO

Geraldo Amâncio/CE

Eu quero o som de etéreas orações
nas catedrais da fé sedimentada,
e a crença pura em Deus sem ser atada
ao nó ferrenho das religiões.

Vaga-lumes flutuando em procissões
deixando a noite suave iluminada.
Eu quero arco-íris na manhã raiada
bordando a aurora com irradiações.

E depois de escutar pelas campinas
o sussurro das brisas matutinas
quero ouvir a heróica melodia

da canção libertária dos kilombos,
e placidez de um revoar de pombos
enchendo o céu de paz e de poesia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário